20/04/2021 - Autor: Equipe Porankatu



Slow Food: conheça esse conceito

Compartilhe

Já ouviu falar?

Você conhece o movimento chamado Slow Food? Até hoje ele ainda não ganhou muita popularidade no Brasil, mas em alguns outros lugares do mundo, esse movimento tem se tornado cada vez mais forte. 

Você deve saber que com a globalização e desenvolvimento do mercado, as pessoas passam a maior parte do tempo fora de suas casas para trabalharem. Com isso, são poucas pessoas que têm a possibilidade de voltarem para suas casas nos horários de almoço, por exemplo. 

A falta de tempo tem consumido grande parte dos trabalhadores, fazendo com que na “automação” do dia a dia, cada vez menos as pessoas se preocupem com a qualidade de sua alimentação e rotina alimentar.

Os “Fast Foods”, justamente na contraposição do movimento “Slow Food”, ganham cada vez mais força por aqueles que buscam alternativas rápidas para se alimentar e já retornam ao ambiente de trabalho. 

As mudanças de hábitos desencadeadas pela intensificação da globalização têm afetado diretamente o bem estar da população global. A preocupação com a saúde, atualmente, vem sendo colocada em cheque. O costume de comer alguma coisa “rapidinha” geralmente desencadeia alguns problemas de saúde. O excesso de sódio e açúcares de alguns alimentos não são mais preocupantes do que a falta de tempo, infelizmente.

No que consiste o movimento Slow Food

O movimento significa literalmente “comida lenta” como uma contraposição aos “fast foods” que tomaram conta do mundo globalizado. 

Surgido no mundo pela primeira vez em 1986, na Itália, pelo fundador Carlo Petrini, o objetivo do movimento é promover uma maior apreciação da comida, melhorando assim a qualidade das alimentações, e gerando uma produção que valorize o alimento e o produtor. É um movimento que acima de tudo, busca melhorar a qualidade de vida das pessoas que são tomadas pela correria do dia a dia. 

A essência do movimento Slow Food tem como premissa que comer é fundamental para viver, e que, acima de tudo, uma alimentação adequada promove uma saudável qualidade de vida.

O Slow Food, veio basicamente para se opor à tendência da padronização dos alimentos do mundo, tendo uma preocupação com toda a biodiversidade da terra, com o respeito às tradições milenares de cada local com suas especiarias e ingredientes.

Além de toda essa preocupação, o Slow Food também se dedicou a buscar que os consumidores sempre saibam sobre o que está colocado em sua mesa, gerando assim uma responsabilidade da própria pessoa com sua saúde.

O conceito de responsabilidade abrangido pelo Slow Food também diz respeito aos produtores. Trabalhando juntamente com as Nações Unidas, o movimento faz questão de olhar para a agricultura e para o mercado de alimentação de todo o planeta. 

Refeições feitas de maneira tradicional, com produtos naturais, frescos e sem acelerar o processo com produtos industrializados.

Benefícios do Slow Food

Além da qualidade na alimentação, o movimento pretende conscientizar o consumidor do que está sendo posto à sua mesa, bem como nos faz refletir sobre os cuidados que foram observados pelo produtor, até a comida chegar no seu prato. 

O movimento não está ligado somente à gastronomia, mas também ao meio ambiente, devido a toda a preocupação com a quantidade de recursos envolvidos para alimentar uma sociedade que não tem tempo de preparar seu próprio alimento. Por exemplo, se você quiser comer um queijo branco da fazenda, deverá esperar até que todo o processo de produção seja finalizado pelo produtor. Em contrapartida, se você for a um restaurante, o cardápio estará pronto para você escolher aquilo que deseja comer na hora, sem ter que esperar sua fabricação.

Fundamentos do Slow Food

  • Excelência na qualidade;
  • Responsabilidade conjunta em toda cadeia alimentar;
  • Justo, limpo e benéfico;
  • Segurança alimentar;
  • Responsabilidade social;
  • Oposição ao “Fast Food”;

Esses são os fundamentos mais comuns do movimento Slow Food atualmente, demonstrando clara preocupação com todos os aspectos que envolvem o alimento, desde sua produção até seu consumo. 

Produtos naturais, locais e com menor processo industrial possível.

Como colocar esse estilo em prática

Infelizmente, no Brasil, o movimento ainda não tem tanta força, e não é muito colocado em prática, principalmente devido à falta de organização. Muito embora o movimento tenha surgido em 1986, no Brasil ficou um pouco mais reconhecido durante a pandemia do covid-19. Isso ocorreu principalmente por conta da preocupação com os pequenos produtores de comidas artesanais. Essa preocupação revela que o Slow Food compreende uma série de consequências, não somente a necessidade de ter tempo para comer.

Para colocar o Slow Food em prática, precisamos colocar alguns velhos hábitos de lado para nos acostumarmos com o que existe de novo.

Trocar a utilização de produtos industrializados por artesanais podem ajudar bastante no começo, como por exemplo, a substituição dos temperos prontos e concentrados por especiarias e temperos secos produzidos sem agrotóxicos. 

Ler informações sobre cada produto também pode ajudar e fazer com que as pessoas se conscientizem sobre o que estão comendo, e quais são os benefícios e malefícios de cada alimento. 

O movimento Slow Food, como já mencionado, vai muito além de ter tempo para comer. Procura também mostrar a importância de nos preocuparmos com toda a cadeia de processos, como por exemplo, o uso descontrolado de agrotóxicos pelos agricultores, etc. O Brasil, atualmente, é o país que mais faz uso de agrotóxicos proibidos em todo o resto do mundo. Por isso é nosso dever cobrar das autoridades a diminuição desses venenos, e a busca por uma cadeia mais sustentável. 

Para colocar em prática os fundamentos do Slow Food, basta você dar o primeiro passo! Só depende de você querer mudar sua rotina alimentar e buscar uma melhor qualidade de vida. Principalmente nos tempos de pandemia, onde a maioria das pessoas estão fazendo suas atividades de casa, é importante, e até mesmo relaxante, poder produzir o próprio alimento de forma saudável, através de ingredientes da sua escolha, proporcionando mais saúde e qualidade de vida a todos que moram na casa. 

Para aderir ao movimento não precisa de radicalismos e extremismos. Basta que você se conscientize sobre o tipo de alimento que está ingerindo.

Quer saber mais sobre esse conceito, acesse a página oficial do Slow Food Brasil clicando aqui.

E aí, gostou do nosso conteúdo sobre Slow Food? Se você souber mais alguma coisa sobre esse movimento compartilhe conosco, iremos adorar saber! Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares, assim podemos dar cada vez mais visibilidade a esse movimento tão importante.

SEGMENTOS

SELOS

ETIQUETAS

Leia também

SEGMENTOS
SELOS
ETIQUETAS
SEGMENTOS
SELOS
ETIQUETAS

2024 - Todos os direitos reservados